Enrico vai para a escola – Parte 2 – A ESCOLHA DA ESCOLINHA

Como eu disse no post anterior, sobre a decisão de colocar o Enrico no berçário, Pedro entrou na escola faltando 1 mês para completar 2 anos.

Me lembro que na época foi mais difícil pra mim do que pra ele. A primeira escola que fui era a que eu queria colocar, na frente de casa,pequena, bilíngüe,  mas o custo era mais elevado e acabei rodando atrás de outras.

Não senti segurança em nenhuma outra. Teve uma que cheguei e havia uma cadeira baixa cheia de produtos de limpeza e uma tesoura. Qualquer criança poderia mexer. Desisti. Em outra, entrei na sala da soneca enquanto as crianças cochilavam , e era abafada e úmida, não consegui ficar ali por 2 minutos. Em uma mais conhecida e grande aqui perto, achei o tratamento com as crianças muito frio, cheguei na hora do banho e era feito um banho coletivo em série, parecia uma fábrica , uma ensaboava, outra já ia enxaguando, outra secando, a outra colocando a roupa… Mas não vi nenhuma olhar nos olhos de nenhuma criança nem as tratar com carinho.

Pesamos bem e resolvemos colocar na primeira que eu queria. E não me arrependo nem um minuto sequer. Vi meu filho sendo tratado com tanta atenção, vi ele se desenvolvendo a cada dia! Foi a melhor decisão.

Bom, preciso contar que Pedro precisou de menos de uma semana para adaptação. Como ele já entendia, e havia passado dois anos todinhos grudados em mim, quando ele percebeu que eu ia embora, caiu no choro. Mas depois distraia e passava. No outro dia, ao chegar, era a mesma coisa. As aulas começaram numa segunda, na quinta ele já me deu tchau. Sem nem olhar pra trás. Mas eu, eu precisei bem mais. No primeiro dia, chorei quase que a tarde toda! Foi um vazio chegar em casa sem ele, e aquelas 4 horas não passavam nunca! Ele ficava meio período, a tarde. Eu dava o almoço, e levava.

Ao mesmo tempo, começar a ter 4 horas por dia para resolver minhas pendências, foi uma libertação! Uma sensação de “opa! Existo!”.

Pedro estuda nessa escola até hoje, ele conhece todo mundo e todos o conhecem.

Alguns fatores que eu levei em consideração, na época em que escolhi essa escola pro Pedro,  pois julgo importante:

– proximidade de casa – ter a escola perto de casa acho um fator bem importante, não só pela praticidade, mas pela própria criança, que não tem que ficar horas no carro (ou muitas vezes na perua escolar!),

– escola pequena – eu preferi uma escola pequena nesse início de vida escolar, porque acho que fica mais acolhedor para aquele serzinho que de repente se vê em um ambiente estranho, cercado de pessoas desconhecidas. A escola dos meninos é gerida por uma família, eles conhecem os alunos por nome, conhecem os pais, é diferente de uma escola de rede, grande, onde tudo é tratado através de memorando. Claro que na escola dele há organização, agenda, etc. mas eu tenho liberdade pra ligar, ou ir até lá falar de algum assunto, eles sabem exatamente quem é quem, enfim…

-turmas  reduzidas– um numero reduzido de alunos nas salas é um grande diferencial. A atenção para a criança é redobrada, e hoje, com o Pedro grande e alfabetizado, vejo como faz diferença!

-ensino bilíngüe: há quem torça o nariz, mas esse fator também foi bem determinante pra nós. Quando antes a criança é exposta a um novo idioma, mais facilidade em aprendê-lo.  E aprende mesmo viu! Pedro está aí para provar!

Quando resolvi colocar o Enrico no berçário, de uma coisa eu sabia, só colocaria se fosse na mesma escola do Pedro, por todos os motivos que disse acima, e porque conheço o ambiente, as pessoas, e sei que será bem cuidado.

Acho que por isso também não saí de lá com o coração na mão, pois confio na escola.

Esse é o fator que julgo mais importante: CONFIANÇA. Se você não tiver confiança, não deixe a criança. Você precisa confiar, sabendo que vai sair dali e seu filho estará sendo bem cuidado, para que sua cabeça fique em paz e que consiga render o que precisa, seja no trabalho de casa ou fora dele.

Enrico vai no mesmo horário do Pedro, por uma questão de praticidade, ele ficará o período semi integral, pois é o período obrigatório para o ano do Pedro, e assim, fica mais fácil levar e buscar os dois.

Daqui há um tempo, volto para contar como está evoluindo esse processo!

 

Larissa Paganini

Larissa Paganini, mãe do Pedro (7 anos) e do Enrico (1 ano). Formada em Hotelaria, e Pós Graduada em Eventos, descobriu o melhor da vida: cuidar dos seus filhotes. Apaixonada por culinária,chocolate e cheiro de filho!

2 Comentários para "Enrico vai para a escola – Parte 2 – A ESCOLHA DA ESCOLINHA"

  • Lilian Castanho 13 de janeiro de 2016 (11:43)

    Oi Larissa. Você pontuou itens importantes para uma boa escolha, muitos se preocupam com a metodologia antes mesmo de saber se a criança se adaptara ou se a familia seguira em casa com essa metodologia. Sentir segurança e confiança na escola é fundamental!! O Gabi ira para a escola de educacao infantio da prefeitura, que aqui é um padrão muito alto de qualidade. Já o Will esta no ensino fundamental II na particular. O bom é que quando o Gabi for para a particular o will terá terminado. Beijos

    • Larissa Paganini
      Larissa Paganini 14 de janeiro de 2016 (12:06)

      Lilian, eu tbem acho que no momento esses itens são prioridade. Olha, na cidade que minha mãe mora, a Educação da Prefeitura é excepcional. Se morasse lá, com certeza poderia colocá-los. Minha mãe foi diretora muitos anos em uma escola da prefeitura. Sei como funciona por lá. As “creches” (que não chamam assim mais, mas não lembro o nome) são todas bem equipadas, as professoras concursadas e sempre fazendo cursos de atualização, é realmente muito bom. Só que a prefeitura lá só tem até ensino fundamental. A partir do ensino médio tem que ir pro Estado, daí já viu né… é uma porcaria ( lá nessa cidade). tenho certeza que o Gabi vai adorar a escola! bjinhos

Clique para Comentar!